terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Técnicos explicam Fernandes em campo

Enquanto esteve no Figueirense, muitos técnicos passaram pelo clube e treinaram Fernandes.

 Abel Ribeiro 
O primeiro que trabalhou com Fernandes foi Abel Ribeiro. Abel revela que, quando o jogador chegou ao clube, ele era atacante, porém como o Figueirense já tinha Genílson e Aldrovani, então foi feita uma adaptação no Fernandes como meia.

 

"Jogador participativo e que dava velocidade". "Atleta que nunca perdeu qualidade técnica". É assim que Abel Ribeiro qualifica o ídolo em campo.

 

O meia quando chegou era banco. Teve a oportunidade de atuar dois jogos seguidos, já que Júlio César, na época, tinha se machucado, e depois desse momento, não largou mais a camisa 10.

 

Sobre o futuro do jogador, Abel imagina o ídolo não dentro de campo, mas em uma área de gerenciamento de futebol, algo dentro do Figueirense, pois no mundo do futebol é raro ter um atleta com a identidade do Fernandes.

 

Adílson Batista

Foto: Luiz Henrique/Figueirense Futebol Clube

Adílson Dias Batista treinou o Figueirense em 2005, 2006, no qual foi campeão catarinense, e em 2013 estará de volta ao clube catarinense.

O treinador avalia Fernandes como um jogador com inteligência de jogo, raciocínio rápido e frio para decidir. E quando chegou no clube, o ídolo se demonstrava cada vez mais importante, principalmente por estarem num momento difícil.

- Quando cheguei ao clube estávamos em um momento difícil,tínhamos vários jogadores experiente e a sua presença foi muito importante pela identificação com o Figueirense, sempre querendo ajudar e sendo positivo para o restante do grupo acreditar na permanência na Série A.

Adílson conquistou com o Figueirense o Campeonato Catarinense 2006, e na opinião do técnico, a atuação de Fernandes foi fundamental.

- Sendo comprometido, exercendo sua influência nos que chegaram, mostrando a importância de se jogar no Figueirense e sempre pensando no melhor para o grupo.

Para o treinador, a carreira do Fernandes é muito bonita, de profissionalismo, ética, respeito aos companheiros e vencedora e acredita que o ídolo ainda pode contribuir muito para o futebol.

- O futebol precisa de pessoas como o Fernandes. Integro, sério e eu tenho a certeza que daqui alguns anos estará participando e contribuindo para o nosso futebol em uma comissão técnica.

Adilson Dias Batista aproveitou e deixou um recado para o ídolo.

- Que Deus Ilumine seu caminho e muito obrigado pela convivência em um momento importante e difícil para todos nós que gostamos do clube. Sempre tive muito respeito por você.

Alexandre Gallo 
Alexandre Tadeu Gallo foi técnico do Figueirense em 2007 e 2008. Conquistou o título do estadual de 2008, último título que o Figueirense teve.

Foto: Reprodução do site oficial do Náutico,
clube que Gallo defende.

Para Gallo, Fernandes é uma pessoal espiritualizada, um ser diferente. Tecnicamente muito bom, com espírito de liderança. 



Apesar de ter se machucado no final do Campeonato Catarinense em 2008, o ex-técnico afirma que Fernandes foi o melhor em campo.



Além da capacidade técnica, garra, disposição e o querer vencer, o que Gallo admira no atleta é o caráter.


Na opinião de Gallo, o futuro de Fernandes também será dentro do Figueirense. Ele não o vê em campo, como técnico ou auxiliar, mas algo dentro do clube.


Recado de Gallo para Fernandes:


Márcio Goiano
Márcio de Azevedo treinou o Figueirense em 2010, 2011 e 2012.

Goiano aponta as características pessoais e profissionais de Fernandes, e chega a comparar o ídolo alvinegro com Zico, na questão de jogadores diferenciados, que se movimenta muito bem, que finaliza bem.

 

 Sobre o futuro de Fernandes, Márcio Goiano torce para que ele fique dentro do futebol, pois o esporte precisa de pessoas como ele.


 

 Além de ter treinado Fernandes, em 2001, 2002, 2003 e 2004 atuou com o ídolo no Figueirense, e em 2000, jogou contra e ainda trocou a camisa com ele.

 

 Mensagem de Goiano para Fernandes:

Nenhum comentário:

Postar um comentário